Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jaguar Perfumado

aqui... asas para voar, raízes para regressar e motivos para ficar! - Dalai Lama -

Jaguar Perfumado

aqui... asas para voar, raízes para regressar e motivos para ficar! - Dalai Lama -

Qui | 30.01.20

...tempo, quanto tempo o tempo tem

Frankie

9a00d7a73633d4babc502b6cb5d20988.jpg

#tempo, quanto tempo o tempo tem

Eu sou uma daquelas pessoas que anda sempre a correr, corro para o trabalho, corro para casa, corro para a escola do mais novo e de seguida corro para a escola do mais velho, corro para o fim-de-semana, corro para o supermercado, corro para conseguir passear o cão, corro… o ritmo é sempre de corrida e irrita-me imenso quem não corre, quem não tem que correr para lado nenhum!
Como é que é possível, pergunto eu? Como é que é possível que nos dias de hoje, hajam pessoas a viverem no mesmo meio que eu e não tenham que correr? Que espécie de pessoas são estas? Vivemos no mesmo planeta, ou em planetas diferentes? O que fazem estas pessoas para não terem de correr? Não sei responder e, não percebo. Não percebo e gostava que me explicassem porque eu também QUERO SER ASSIM!! Mesmo no carro, corro ao ponto de achar que, há sempre um condutor sem pressa estrategicamente colocado à minha frente, para me impedir de chegar onde eu quero no menor espaço de tempo possível. Só pode ser karma, não?? É porque aparece sempre um sem pressa de chegar mesmo ali, à minha frente. Já dei comigo a pensar que só pode ser propositado, que o Universo o coloca só para me mostrar que sem pressas também chegamos ao destino. Pode ser isso… qual barata tonta!

Gostava tanto de ser assim, de ter tempo para fazer tudo descontraidamente, sem pressas de chegar ou de sair! É porque a continuar assim a minha vida vai passar bem mais rápido que a de todos os outros, especialmente dos que não correm. Não raro sentir-me a bordo do Trem - bala da Ana Vilela, como uma passageira perdida sem qualquer noção do destino.

Tempo, é das coisas que mais valorizo hoje em dia. A falta do tempo necessário para acompanhar o ritmo, confere-lhe um valor inigualável, intransferível, incomparável. É comum ouvir-se dizer que o tempo voa, que não volta atrás e tudo isso é verdade. Para mim ter tempo representa ter um tesouro em mãos para gerir com mil cuidados. Saudades dos meus tempos de miúda, em que este não passava.

Sei que recuperar o tempo não vai ser possível, mas como gerir esta escassez? Como conseguir ter mais tempo de qualidade para aproveitar a família, a casa, os amigos, o nosso momento? – pergunta para milhão!!

Estou convencida que as prioridades estão totalmente invertidas, na realidade investimos muito mais tempo com momentos, situações inúteis do que investimos em ações que nos dão prazer e acrescentam verdadeiro valor, não somente a nós próprios, mas sobretudo àqueles que nos rodeiam e dependem da nossa (falta de) disponibilidade. Tudo isto com a agravante de que quando não estamos a correr estamos em stress pelas coisas que estamos a deixar de fazer e com um estado de espírito ausente, ansioso, nervoso, tudo menos positivo para quem nos acompanha.

Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar
E sim sobre cada momento sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo
Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

in Trem-bala, Ana Vilela

Seg | 27.01.20

Riscar ou Arriscar?!

Frankie

riscarouarriscar.jpg

#riscar ou arriscar?!

Para vivermos a felicidade plena temos de estar disponíveis para aceitar o risco da desilusão. É quando damos tudo e decidimos que vale a pena arriscar que abrimos a porta de oportunidade para vivermos algo que pode ser verdadeiramente maravilhoso. O risco está em aceitar a possibilidade de errar e ter de acartar com as consequências inerentes ao processo todo, sem medos.

Nunca iremos experienciar o melhor se não estivermos também disponíveis para experienciar o mau. Por isso, é para riscar ou arriscar? Esta é a grande decisão a tomar.

É isto que vai determinar o caminho que vamos seguir e nos vai trazer uma de duas situações: aquilo que pode ser realmente algo de muito belo e maravilhoso ou então, (há sempre um risco) algo bem acre, bem amargo. Seguir o caminho confortável é mais seguro, mas pode ser na realidade o mais desastroso, conduz-nos numa vida sensaborona, sem emoção e alegria verdadeiramente satisfatória. Manter os padrões da normalidade sem arriscar muito para não sofrer representa, na verdade, deixar de lado a oportunidade de viver em pleno, de ser realmente feliz, nem que seja por momentos.
As emoções mais fortes só podem surgir quando arriscamos tudo, quando entregamos aos desígnios do Universo, o desfecho possível. Não temos como saber a priori qual o resultado que vamos obter, mas as decisões têm de ser tomadas e a base destas decisões pode partir de uma avaliação totalmente racional, de uma postura pragmática e analítica ou, inversamente, podem partir de uma introspeção meramente especulativa com base em intuição, emoção, sonho ou, simplesmente, partir do coração.

Uma coisa é certa, para vivermos o bom temos de estar disponíveis para vivermos o mau. Cabe, pois, a cada um decidir se vale a pena arriscar ou se é melhor riscar e avançar, tranquilo, sereno sem percalços ou sobressaltos.

Eu decido viver. Sempre que desafiei o medo e decidi arriscar, sempre que optei por seguir o caminho traçado pelo coração, fui mais feliz! De nada me arrependo, independentemente do desfecho… até lá disfruto do melhor que há na vida, viver em pleno, viver em verdade com o meu coração!

Ter | 21.01.20

Estar… estar ali!

Frankie

together.jpg

#Estar… estar ali!

Pensar, perceber e viver uma relação pode ser um carrossel de emoções, uma tarefa tão complexa e trabalhosa que para muitos chega a ser intangível durante toda a vida. Para estes, o maior ou menor esforço será sempre inglório!! Há quem viva toda uma vida na esperança e, outros há que desistem de tentar encontrar o seu porto de abrigo, convencidos de que não é possível encontrar alguém compatível. A verdade é que manter uma relação é um desafio constante, há muita aprendizagem, muita dedicação, tem de haver muita vontade de que dê certo para ter a capacidade de muitas vezes, “engolir sapos” bem rechonchudos.  Para ser saudável, todos estes ajustes devem ser partilhados, o trabalho de ajuste deve decorrer de parte a parte até que se identifique o ponto de equilíbrio em que cada um cede o suficiente até encontrar o outro. O jogo é contínuo e vai durar até que uma das partes deixe de querer jogar.

Contudo, ter e fazer crescer uma relação é perfeitamente provável, basta compreender que a dimensão de uma relação passa muito por perceber até que ponto há disponibilidade para tão simplesmente “estar.. estar ali”. Toda uma capacidade e vontade para, simplesmente “estar”, é o que sustenta uma conexão mais profunda. Muita capacidade de entrega, muita disponibilidade e presença com amor, é o que, em última instância representa “estar ali”, e isso tem ser natural, espontâneo, livre e desprendido sem cobranças.  
Esta vontade é algo que deve acontecer por nós, por nossa vontade e só depois para o outro, para o bem do outro. Estar ali sem esforço, estar ali sem máscaras, estar ali sem subterfúgios, estar ali disponível para entregar, estar ali para receber, estar ali para trocar. Criar naquele momento um lugar seguro, um ponto de conexão, onde as vidas se fundem e confundem, incondicionalmente.

É neste momento que a magia acontece.
É neste momento que duas vidas se cruzam e se unem por vínculos incrivelmente resistentes, impercetíveis a olho nu, é neste momento que a química acontece. Quando a vontade de “estar ali” se sobrepõe a qualquer outra verdade, porque a nossa verdade é aquele momento.

 

 

Sab | 18.01.20

Eu sou mais eu

Frankie

glamour.jpg
#Eu sou mais eu

Às vezes é difícil reduzir-me à minha insignificância. Mas, afinal quem é que eu penso que sou? Ouvi uma vez numa novela da Globo da qual já nem me lembro o nome, uma frase que me marcou, me acompanha para sempre e talvez me tenha gerado a ilusão de que sou muito mais do que aquilo que sou. A frase que retenho até hoje – “Eu sou mais eu!” Na verdade, diz tudo ao mesmo tempo que não diz rigorosamente nada, dependendo claramente do tom que se utilize ao citar e encarnar a personagem que a referiu nessa novela.
Tanto quanto me lembro, gravei na memória que a mesma foi proferida num tom de altivez e desprendimento total por tudo e todos à sua volta. O objetivo claramente era salientar a intenção de preservar a sua identidade, independentemente de qualquer opinião ou posição externa a si, ou como diriam os anglo-saxónicos, no matter what!!
Pois eu, como já se deve ter percebido, concordo plenamente e adoto sempre que considero necessário deixar clara a minha pretensão. É de tal forma, que muitas vezes encarno de tal maneira que fica difícil “desencarnar” e novamente reduzir-me à minha insignificância, o mesmo é dizer, voltar à minha vidinha tão pouco glamourosa de pessoa”zinha” reduzida ao dia-a-dia, de casa, escola, trabalho que nem um vestido de lantejoulas sem ombros até aos pés tem, porque nunca vai ser convidada para nenhum evento dos Globos de Ouro, nem de Portugal quanto mais do Brasil!!

Concluindo, eu devia mesmo era ter sido artista de novela brasileira, e aqui sou novamente intransigente, teria de ser mesmo atriz de novela brasileira, porque só nessas se conseguem lançar estas frases com tal convicção que qualquer audiência de novela por mais erudita e intelectual que possa ser, consegue ignorar e avançar sem levar consigo algumas lições e ensinamentos para a vida! Acho que tinha muito jeito, era seguramente uma profissão que se encaixaria totalmente no meu perfil, conseguir desempenhar papeis completamente desenquadrados da minha realidade e ainda ganhar dinheiro com isso, que sonho!! Enfim, por agora, acho melhor fazer o esforço e vou regressar à minha insignificância por uns momentos, pelo menos… 😉 vejo os Globos de Ouro na TV, quentinha de pijama que, também é muito bom!

 

Qui | 16.01.20

Viagens

Frankie

Shine....jpg

#Viagens

As viagens são um ponto de não retorno, um salto no tempo, cada uma que faço transporta-me para uma fase da vida diferente pelo conhecimento, pela realidade que me apresentam, a maior parte das vezes tão diferente da minha. Cada regresso vem cheio de sonho, de imagens, aromas, sons, possibilidades, oportunidades infinitas, vem cheio de um mundo tão diferente e tão mais rico do que o que levava antes. É realmente genial perceber que o mundo é tão maior do que nós e que, as nossas possibilidades e oportunidades são tão maiores do que pensamos e idealizamos.
Só precisamos sair, conhecer outras realidades, outras pessoas, outras vidas, outras vivências  para descobrir que como vivemos não é a única forma de viver, há muitas outras tão diferentes e porventura tão mais ricas e felizes do que as conhecemos. As possibilidades não tem limites, só temos que abrir os olhos e ver, enxergar bem à nossa volta e abrir a cabeça para aquilo que nunca vimos ou pensamos antes, porque apesar de não conhecermos não deixam de ser uma realidade, uma possibilidade tão válida quanto qualquer outra.

Eu só quero ser feliz! Viver uma vida rica, generosa, calorosa, cheia de oportunidades sem portas fechadas. Tenho saudades do tempo em que olhava à volta e tudo era uma possibilidade, uma oportunidade para explorar, tudo era possível na minha cabeça, os sonhos mais ambiciosos, mais loucos, impossíveis até, eram apenas uma questão de tempo até se concretizarem.

Não me posso perder, ser quem sou sempre e para sempre para me levar nesta jornada da vida com o brilho no olhar, com esperança no futuro, fé no universo. Saber que vai correr sempre bem, desde que me mantenha fiel a mim mesma, a quem sou no meu mais íntimo ser, na minha essência, abraçando com muito AMOR o futuro com todos os desafios que possa trazer.

Uma vida aborrecida não é para mim, nunca me vai fazer feliz ou me vai fazer sentir plena, livre de seguir em frente.
Está na hora de saltar, de ir para outro lugar e provar-me uma vez mais do que sou capaz, do que quero conseguir e que se resume em chegar ao fim com duas mãos cheias de cor, som, imagens, sentimentos apertados, ricos de emoção, calor… muito amor, muita paz de espírito por conseguir ser eu própria, verdadeira, honesta e transparente com a vida!

Tenho de seguir o meu caminho, preciso viajar, levantar voo.

Ter | 14.01.20

Lisboa por mares nunca antes navegados

Frankie

NO_planet_B.jpgimg. by Paws For A Trip

#Lisboa por mares nunca antes navegados


Quando me perguntam de onde sou ainda tenho alguma dificuldade em responder rápida e assertivamente. Quem me conhece sabe o porquê de tanto gaguejo. Sou filha biológica do Minho mas Lisboeta de coração. Lisboa é a cidade que me recebeu e acolheu de braços abertos. Vim com o objetivo de viver e absorver o máximo no menor tempo possível, a expetativa era ficar 4 anos e voltar ao meu Minho de sempre. A verdade é que esses 4 anos já vão em mais de 20 e quando olho à minha volta e realizo tudo o que esta cidade me proporcionou e me entregou, fico realmente grata e feliz com a opção que tomei. Volto ao Minho quase mensalmente porque preciso matar as saudades mas adoro regressar e reencontrar a minha vidinha do dia-a-dia.

Talvez seja por esse motivo que aqui estou hoje, tão orgulhosa de viver esta cidade, recentemente distinguida como Capital Verde Europeia 2020. É um ano verdadeiramente marcante que vem privilegiar a ecologia e a sustentabilidade de Lisboa que, por natureza e vocação, representa todo um povo muito nobre, com relação de estreita cumplicidade com o mar, com os oceanos que, como todos sabemos, tem sofrido bastante com a poluição e servido de contentor de lixo dos nossos dejetos.

Por isso, como símbolo, nada mais adequado que criar uma bandeira portuguesa feita a partir de materiais reciclados recolhidos no oceano. Para nós portugueses, um país de Navegadores, que sempre vivemos do mar e com o mar e, com ele nos difundimos até aos mais longínquos continentes, nada poderia ser mais representativo, ter maior significado, é na verdade o assumir de um compromisso - Portugal com o Planeta.

Parabéns Lisboa!! 🌿🐢

Qui | 09.01.20

Realidade virtual!?

Frankie

reality.jpg

#Realidade virtual?

Sabermos quem somos será sempre o primeiro passo para conseguirmos identificar o nosso caminho, aquele que flui naturalmente sem implicar qualquer nível de esforço, que por fim, é aquele que nos faz felizes. Tornar-nos conscientes do nosso inconsciente é o segundo passo, pois este último controla integralmente todos os nossos movimentos. É o nosso inconsciente que trabalha quando avançamos no sentido certo, e é o nosso inconsciente que controla quando o objetivo é sabotar todo esse percurso e acabamos por seguir o que, conscientemente, pode ser o mais indesejado. Se o nosso inconsciente não estiver alinhado com a consciência, se o inconsciente acreditar que não somos merecedores, que não é o movimento ou momento certo, o que prevalece é o que o inconsciente determina. Entra em ação, condicionando todo o nosso comportamento, orientando as nossas ações no sentido de determinar o resultado final. Quando desejamos muito um resultado e não o obtemos, é porque o nosso inconsciente não está alinhado e seguramente tem razões para achar que esse resultado tão desejado não é o mais adequado, não é o que efetivamente precisamos. Este é o momento em que ficamos frustrados, nos sentimos fracassados, infelizes.

O desafio está, pois, em saber o que vai no nosso inconsciente justamente porque é o nosso lado oculto, contudo, determinante. Aqui reside a toda a nossa verdade, quem somos realmente e como vemos a vida e o que nos rodeia. O nosso inconsciente é moldado por todos os nossos pensamentos, desde os mais claros e explícitos até aos mais secretos e, os nossos sentimentos, estes também dos mais claros aos mais reservados.

Em suma, na realidade, o que temos de trabalhar são os nossos pensamentos e os nossos sentimentos porque, em conjunto, são estes que vão criar o universo da nossa consciência ao mais alto nível, incluindo até o nosso mundo inconsciente. Traumas, bloqueios, problemas de autoconfiança e autoestima é aqui que residem como resultado da nossa vivência, dos nossos sentimentos, dos pensamentos criados e armazenados ao longo da vida, atuando na formação da nossa personalidade e carácter.

A vida que sonhamos será possível quando formos capazes de deixar os sonhos fluírem livremente pela nossa mente até que se instalem bem confortavelmente no nosso inconsciente. Nesse dia, vamos parar, olhar e concretizar que já são a nossa realidade.

Qua | 08.01.20

#Todos somos Austrália

Frankie

koala.jpg

#Todos somos Austrália

Há um continente a arder. Há dias que arde, infelizmente, até ao momento sem qualquer indício de abrandamento. Os números que resultam desta catástrofe que de natural não tem nada, são avassaladores, mais de 20 pessoas que já morreram, mais 6,3 milhões de hectares já queimados, mais de 500 milhões de animais que desapareceram. É impossível ficar indiferente a números destes, é impossível fingir que não nos afeta. Mesmo do outro lado do mundo, e em jeito de proteção, suspeito que é reconfortante pensar que não nos vai afetar, mas uma desgraça destas acarreta consequências gravíssimas no ecossistema ambiental mundial que direta ou indiretamente, mais cedo ou mais tarde chegarão a este lado. Desengane-se quem pensa que a realidade de hoje na Austrália é muito diferente da nossa. Numa escala bem menor, recordamos pesarosos Pedrogão ou Monchique…

Hoje, é todo um continente que está a arder e ainda com a tragédia Amazónica bem presente na nossa memória, com os incêndios que dizimaram cerca de 900 mil hectares da maior floresta do mundo.

É assustador o caminho que fazemos, a forma como, de uma forma geral, insistimos em ignorar os efeitos do aquecimento global, das alterações climáticas como um todo. As temperaturas crescentes fazem-se notar por todo o planeta. Nos últimos dias, na Austrália já ultrapassaram todos os records, e combinadas com os ventos fortes favorecem este cenário de terror, por enquanto, sem fim à vista.

O efeito do bater das asas de uma borboleta, pode despoletar uma tormenta. Um massacre destes num ponto do planeta, seguramente irá despoletar muito mais.

É fundamental que nos consciencializemos da nossa pegada ecológica, é urgente contribuirmos como e com o que pudermos. O planeta é de todos nós, é o nosso habitat mas, da forma como o temos vindo a tratar, será até quando?

Seg | 06.01.20

The Show Must Go On

Frankie

showmustgoon.jpg

#The show must go on

De volta ao trabalho e à escola, a rotina começa a instalar-se após o período das festas em que, pelo bem da nossa saúde, tudo se desregulou. Dias completos de ócio total, a comer como alarves, manter conversas intermináveis, sem horários certos e sem correrias esquizofrénicas, já lá vão. A rotina volta a impor-se e começamos mais 1 ano cheios de resoluções positivas para tentarmos corrigir em 2020 tudo o que até 31 de dezembro correu menos bem. O “show must go on”, é tempo de desfazer a árvore de Natal, guardar cuidadosamente o Presépio. O Menino nasceu e correu tudo muito bem por isso agora só resta voltar à normalidade e seguir com o dia-a-dia.

Nada como um vestidinho novo comprado nos saldos e seguimos apresentáveis para o novo ano de trabalho ou, pelo menos até às férias da Páscoa, que já é bom! Uma etapa de cada vez, mas por agora, todos com os olhos postos no próximo fim-de-semana de sol.

Qui | 02.01.20

NOVO Ano, NOVA Década

Frankie

love (3).jpg

#NOVO Ano, NOVA Década

Não quero entrar no novo ano sem registar aqui esta transição que não é apenas de um ano para o seguinte, mas a transição para uma nova década. Há 10 anos atrás preparava-me a passos largos para ser mãe pela primeira vez! 10 anos depois sou mãe de 2 rapazes maravilhosos que me transformaram a vida. Até essa data eu era uma pessoa tão diferente do que sou hoje. Na realidade, até essa data estava longe de imaginar que meses mais tarde a minha missão seria totalmente desmantelada, desmascarada até e revelado o verdadeiro sentido da minha própria vida.  Julgo que eu própria renasci nesse dia com uma nova identidade, uma nova forma de estar e de pensar. Nesta última década transformei-me na pessoa que sou hoje, bem diferente da anterior – tenho mais receios, maiores preocupações, estou bem mais chata ☹… mas tenho também muito mais Amor para dar, fé para partilhar. Hoje sei que quando colocamos amor no que fazemos e no que defendemos, o resultado será sempre feliz. Hoje sei que seguir essa verdade acima de qualquer outra coisa é o caminho certo para um final feliz! O final que todos procuramos.

Que esta próxima década nos reserve o melhor, nos conceda a força necessária no nosso coração para sermos sempre verdadeiros com a nossa essência. 

Hoje é o dia 2 de uma nova década. Temos o poder e a capacidade para fazer deste dia o que quisermos que ele seja. Está nas nossas mãos! Feliz Ano Novo, Feliz Nova Década!!